Arabic arDanish daGerman deGreek elEnglish enSpanish esEtonian etFinnish fiFrench frHindi hiCroat hrIndonesian idItalian itHebrew iwJapanese jaKorean koLithuanian ltLatvian lvMalay msDutch nlNorwegian noPolish plPortuguese ptRomanian roRussian ruSlovak skSwedish svSwahili swThai thFilipino tlTurkish trVietnamese vi

[06] Motor Função dos Anéis do Cárter



O que são os anéis do cárter do motor?
Construído também de uma liga leve e pouco resistente, o pistão é colocado no interior do cilindro com, no mínimo, dois anéis de aço, que serão os responsáveis diretos pela boa vedação do motor, ou seja, manter a compressão do motor.
Qual a função dos anéis do cárter do motor?
Já vimos que um motor de motocicleta tem, em média, 6.000 RPMs.
Agora imagine o atrito gerado por essa elevada rotação sobre o pistão e a camisa, se estes estivessem em contato direto.
O pistão tem uma área lateral muito grande, e toda essa área atritando-se em movimento rápido com o cilindro provocaria o desgaste e um calor dificilmente controlável.
Tornaria praticamente impossível o funcionamento desse motor sem que suas peças mais sujeitas a esse atrito e submetidas a esse calor derretessem.
A colocação de óleo lubrificante não mudaria muito a situação: em vista dessa área muito grande de atrito, o pistão impediria que esse óleo escorresse por toda a superfície de contato.
Uma forma de reduzir esse atrito, ou melhor, de reduzir a superfície de atrito, é fazer o pistão menor que a camisa e colocar em volta do mesmo anéis de aço, maiores em diâmetro.
Esses anéis de aço serão os responsáveis diretos pela vedação do motor e, portanto, pela compressão do mesmo.
Note que dessa forma soluciona-se também um problema que ocorreria caso o pistão fosse quem entrasse em contato com a camisa: o pistão, sendo de uma liga leve, sofreria um desgaste muito maior do que a camisa que, como vimos, é feita de aço.
Esse desgaste excessivo e desigual agora não mais existe, pois temos dois materiais iguais (aço) em contato.
A colocação desses anéis também propicia uma lubrificação mais eficiente, pois esta folga existente entre pistão e a camisa funciona como um canal de óleo circulante.
Esses anéis não são inteiriços, pelo contrário, têm um corte em sua superfície.
Esse corte, ou abertura entre os anéis, serve para posicionar melhor os anéis dentro da camisa quando é efetuada a sua montagem.
Essa abertura dos anéis faz com que as suas pontas se toquem caso seja pressionado e, se solto, volte a sua posição original.
Ou seja, funciona como uma mola em que o anel pode diminuir o seu diâmetro quando está sendo comprimido ou aumentar quando está solto.
Isso é muito útil no motor pois, ao colocá-lo dentro da camisa, ele é pressionado e mantém-se em contato com a camisa sob a ação dessa pressão do próprio anel.
A alta durabilidade dos motores atuais é sobretudo devida a esta característica dos anéis que, com essa pressão, vai compensando, na medida de seu desgaste, o próprio desgaste da camisa.

Essa abertura dos anéis, porém, nos traz um inconveniente, que é o fato de escape de compressão por entre essa abertura.
Esse escape de compressão é evitado sempre que os anéis forem posicionados de maneira não alinhada.
Colocar as aberturas em lados opostos do cilindro sempre que não houver uma recomendação mais clara sobre isso.
Nos motores de dois tempos, essa posição dos anéis é determinada por um pino-guia que existe na ranhura do pistão onde é colocado o anel, evitando assim uma possível distração do mecânico em colocá-los alinhados, causando, com isso, uma sensível perda de compressão do motor.
A razão dos motores dois tempos terem esse pino-guia para posicionar os anéis em determinada localização será explicada no próximo capítulo.
Durante esta visão preliminar de motores à explosão, citamos sempre a explosão do combustível dentro da câmara de combustão como a causa da potência do motor.
Essa explosão do combustível só é possível devido a três fatores que, se não observados, comprometem o funcionamento do motor:
1 - MISTURA AR + COMBUSTÍVEL numa proporção corre
ta, que será detalhada no capítulo referente a carburadores.
2 ־ CENTELHA OU FAÍSCA emitida pela vela de ignição den
tro dessa câmara de combustão, quando o pistão se encontra em sua altura máxima.
3 - COMPRESSÃO.
Esse é o fator mais importante e sem
dúvida o mais problemático em um motor à explosão.
É o que determina o estado do motor, a sua “vida útil”.
Na descrição feita até aqui, sempre citamos o fato do motor estar com o pistão comprimindo o combustível para que este possa explodir.
Essa compressão ocorre pela vedação interna entre os anéis e a camisa dependendo de seu estado interno geral.
Sem compressão, um motor não explode a mistura combustível, o máximo que se consegue é queimar essa mistura sem, logicamente, a mesma liberação de energia.

Curso Mecânica Motos

[05] Motor de Motos Cárter[07] Perda de Potência do Motor
Curso Mecânica de Motos
01 Teoria de Motores à Combustão Interna
02 Cilindrada e Potência do Motor da Moto
03 Motor de Motos Cabeçote
04 Motor de Motos Cilindro
05 Motor de Motos Cárter
06 Motor Função dos Anéis do Cárter
07 Perda de Potência do Motor
08 Taxas de Compressão de Motores à Gasolina
09 Como Medir a Taxa de Compressão do Motor?
10 Pra Que Servem As Aletas do Motor?
11 O Que Significa Cilindrada do Motor?
12 O Que é Taxa de Compressão do Motor?
15 Lubrificação de Motores de 2 Tempos
18 Ciclo do Motor 2 Tempos Compressão
21 Lubrificação do Motor 2 Tempos
24 Proporção Correta Para Mistura de óleo à Gasolina
27 Manutenção do Motor Descarbonização
30 O Sistema de Escape do Motor Escapamento Comum
33 Entrada da Mistura de Combustível Na Câmara
36 Diferenças Entre Motores 2 Tempos e 4 Tempos
39 Motor 4 Tempos 2 Compressão
42 Comparando Motores 2 Tempos Com Motores 4 Tempos
45 Bomba de óleo do Motor Motocicleta
48 Problema No Retentor de Válvulas
51 Motores de Moto Que Necessitam de Menos Manutenção
54 Perda de Compressão Por Mau Assentamento das Válvulas
57 Assentamento das Válvulas Polir Válvulas da Motocicleta
60 Resumo do Polimento de Valvulas do Motor da Moto
63 Vida útil do Motor das Motos
66 Como Saber a Medida da Retífica?
69 O Que Provoca a Detonação? Qualidade do Combustível.
72 O Que Provoca a Pré-ignição?
75 Defeitos do Pistão Detonação
78 Defeitos do Pistão Excesso de Solicitação
81 O Que é Virabrequim? Curso de Mecânica de Motos.
84 Sistema de Abertura de Válvulas. Ohv.
87 O Ressalto Ou Excêntrico dos Motores das Motos
90 A Corrente de Comando das Motos
93 Como Regular a Folga Nas Válvulas das Motos?
96 Carburadores. Curso Mecânica de Moto.
99 Como Funciona o Carburador? Parte 2 Curso Mecânica de Moto.
102 Como Funciona o Carburador? Parte 5 Curso Mecânica de Motos.
105 Como Funciona o Carburador? Parte 6 Gicleus Secundário.
108 Como Funciona o Carburador? Parte 9 Sistema de Afogadores
111 Defeitos No Carburador das Motos. Curso Mecânica de Motos.
114 Defeitos No Carburador. Instabilidade Na Marcha Lenta.
117 Quando a Mistura é Pobre? Curso de Mecânica. Carburadores de Motos.
120 Gasolina. Curso de Mecânica de Motos.
123 Tipos de óleos Lubrificantes. Curso de Mecânica de Motos.
126 Aditivos Para Os óleos de Motores. Curso de Mecânica de Motos.
129 Como Saber Qual Tipo de óleo é Melhor?
132 Quando Trocar o óleo das Motos?
135 Como Fazer a Troca do óleo de Sua Moto?
138 Deformidade das Juntas do Motor. Curso Mecânica de Motos.
141 Borrachas do Motor. Curso Mecânica de Motos.
144 Anéis o Ring do Motor. Curso Mecânica de Motos.
147 Travas e Vedantes Químicos do Motor. Curso Mecânica de Motos.
150 Velas de Ignição. Curso Mecânica de Motos.
153 Diâmetro da Rosca das Velas. Curso Mecânica de Motos.
156 Problemas Pelo Uso das Velas Muito Frias.
159 Kit de Relação de Marcha. Curso Mecânica de Motos.
162 Principais Defeitos Nos Freios Com Acionamento Mecânico
165 Como Fazer a Sangria do Freio das Motos.
168 Pneus. Curso Mecânica de Motos.
171 Marcações dos Pneus. Curso Mecânica de Motos.
174 Pressão de Enchimento do Pneu. Curso Mecânica de Motos.
177 Ressucagem e Recapagem de Pneu de Motocicleta
180 Câmaras de Ar Especiais. Curso Mecânica de Motos.
183 Refrigeração a água. Curso Mecânica de Motos.
186 Ventilador. Refrigeração a água.
189 Nível de água do Sistema de Refrigeração.
192 Defeito No Ventilador de Refrigeração.
195 O Tanque de Expansão do Sistema de Refrigeração.
198 Diagnósticos de Defeitos No Sistema de Refrigeração das Motos.
201 Normas de Segurança - Bateria - Eletrólitos e Gas
204 Normas de Segurança - Freios - Pó do Sistema de Freio
207 Normas de Segurança - Serviços - Limpeza
210 Solda Elétrica. Curso Mecânica de Motos.
213 Tabela de Diâmetro do Eletrodo X Espessura do Metal. Mecânica.
216 Chave Castelo Ferramentas Oficina Mecânica Motos.
219 Chave de Raio Ferramentas Oficina Mecânica Motos.
222 Compressor de Mola de Válvulas Ferramentas Oficina Mecânica.
225 Fixador Universal de Volante Magnético Mecânica Motos.
228 Fixador Embreagem Dt Rd Ferramentas Oficina Mecânica Motos.
231 Sacadores de Volante Magnéticos Ferramentas Oficina Mecânica Motos.
234 Jogo de Chaves de Cromo Vanádio.
237 Tabelas de Velas e Folga de Eletrodos 2. Curso Mecânica Motos.
240 Tabelas de Motocicletas Honda. Fólga de Válvulas.
243 Tabelas de Motocicletas Outros Modelos. Fólga de Admissão Escape.
246 Tabelas de óleos de Motor e Suspensão Motocicletas Yamaha
249 Tabelas de Medidas de Pneus Recomendação do Fabricante Motos
252 Tabela Honda Modelos Novos Motocicletas
255 Mecânica - Regulagem de Platinados e Distribuidor - Parte 2 - Estroboscópio.
258 Mecânica - Bateria - Limpeza da Bateria.
260 Mecânica - Bateria - o Circuito de Carga da Bateria.
261 Como Citar o Nosso Site

comentários:


Postar um comentário

Deixe o seu comentário





* necessário